O sistema linfático é um sistema paralelo ao circulatório, formado por uma grande rede de vasos semelhantes às vias (vasos linfáticos), q...

Benefícios da Drenagem Linfática


http://vmulher5.vila.to/interacao/original/13/fisioterapia-dermato-funcional-13-103.jpg


O sistema linfático é um sistema paralelo ao circulatório, formado por uma grande rede de vasos semelhantes às vias (vasos linfáticos), que se distribuem por todo o organismo e recolhem o líquido dos espaços existentes entre os tecidos, que não retornou aos capilares sanguíneos, filtrando-o e direcionando a circulação sanguínea. Desta maneira, o sistema linfático, ao mesmo tempo, drena o excesso de líquido acumulado entre os tecidos e as toxinas do organismo, elevando a defesa do corpo contra doenças e infecções.

A técnica de drenagem linfática manual é complexa, constituida por um conjunto de manobras muito específicas, que estimula o sistema linfático por meio de massagens, contribuindo na eliminação do excesso de líquidos e toxinas pela urina. O fisioterapeuta pressiona e desliza as mãos sobre a pele do paciente, direcionando o líquido excedente pra os gânglios linfáticos que são responsáveis por essa eliminação, reduzindo o inchaço do corpo.

Desta forma, a drenagem é indicada em diversos casos como no tratamento pré e pós- operatórios de lipoaspiração, cirurgias plásticas, micro lipoaspiração, combatendo a gordura localizada. A drenagem linfática também atua no tratamento do fibro edema gelóide (celulite), pós-traumatismos, retenção de líquidos, cansaços e desconforto muscular que comumente ocorre durante a gestação, em certos períodos de TPM, insônia e pós- mastectomia. A drenagem linfática manual contribui para a defesa do corpo e sua ação antiinflamatória, promove relaxamento reduzindo a ansiedade do dia-a-dia.

Ressalta-se que é recomendável que a técnica de drenagem linfática deve ser realizada por fisioterapeutas, pois, para realizar esta técnica específica de drenagem linfática manual deve-se possuir um conhecimento aprofundado sobre fisiologia (funcionamento) e anatomia do sistema linfático, pois existem contra indicações e cuidados. Em mulheres grávidas uma técnica mal executada pode estimular as contrações uterinas e causar até a antecipação do parto a partir do sexto mês de gravidez. O fisioterapeuta deve verificar fisiologia do corpo do paciente em questão e antes iniciar a sessão, observar se o útero não está contraído. Além do mais, dependendo do caso, pode prejudicar a circulação causando hematomas. Contudo, a drenagem não deve ser realizadoa se a pessoa estiver com febre, processos infecciosos, trombose, insuficiência cardíaca congestiva descompensada, hipertensão arterial não controlada e neoplasias malignas (câncer).

Então se você está com retenção de líquidos, ou quer manter a saúde e a boa forma, vale à pena recorrer à drenagem linfática manual sendo também importante associá-la com exercícios regulares e alimentação saudável e lembrando-se sempre que esta deve ser realizada apenas por profissionais qualificados.

0 comentários:

As estrias representam um grande problema para quem as têm e um grande desafio para o dermatologista. Vários tra...

Laser atuando nas estrias


As estrias representam um grande problema para quem as têm e um grande desafio para o dermatologista.

Vários tratamentos são propostos, mas nenhum cura ou acaba definitivamente com elas. Produtos tópicos, como cremes a base de ácidos e hidratantes, aplicação de substâncias químicas dentro das mesmas (mesoterapia) e, por fim, o laser e aparelhos que se enquadram nesta categoria, fazem parte do arsenal terapêutico utilizado para o tratamento das estrias.

Estrias no dorso

O que é a estria?

Para entender como o laser atua nas estrias, devemos primeiro entender o que é uma estria e as suas fases. A estria surge quando há um estiramento da pele e esta não retorna à sua origem, causando, então, um esgarçamento da pele.

Quando este processo é recente, ela se torna avermelhada. É nesta fase que os tratamentos têm maior chance de sucesso. Com o passar do tempo, a estria vai se tornando esbranquiçada, forma-se um tecido fibroso sob a mesma e a pele ganha um aspecto deprimido.

Como o laser atua?

O laser vai atuar em ambas as fases. Na fase avermelhada, ele provoca um fechamento dos pequenos vasos sanguíneos e estimula a formação de um novo colágeno, dando à estria uma tonalidade próxima a da pele e uma diminuição do seu tamanho.

Já na fase esbranquiçada, o laser vai atuar basicamente estimulando um novo colágeno, visando somente a diminuição do seu tamanho.

São necessárias pelo menos 5 sessões, que podem ser mensais ou quinzenais. O método é indolor, e o grau de satisfação dos pacientes vai de regular a bom. Quando o laser é associado a outras terapias, como cremes a base de ácidos, este resultado se torna potencializado e a chance de sucesso aumenta muito.

0 comentários:

Câncer de mama é o desenvolvimento anormal das células do seio. Estas células crescem e substituem o tecido saudável. Câncer de mama é uma ...

Cancer de mama


Câncer de mama é o desenvolvimento anormal das células do seio. Estas células crescem e substituem o tecido saudável.

Câncer de mama é uma doença tratável. A descoberta precoce é a chave para sobreviver ao câncer de mama. O câncer normalmente começa com um pequeno nódulo que, com o tempo pode crescer e se espalhar para áreas próximas, como os músculos e pele, assim como nódulo de pus sob o braço. Principalmente o tumor pode se espalhar para órgãos vitais como fígado,cérebro, pulmão e espinha.

Mais ou menos uma entre oito mulheres desenvolvem câncer de mama. Mesmo com o recente progresso de descoberta precoce e tratamentos aperfeiçoados, o câncer de mama é terceira maior causa de morte para mulheres nos E.U.A

Como ocorre?

A causa do câncer de mama não é conhecida. Qualquer mulher pode desenvolver câncer de mama e apesar de muito menos comum, homens também podem. Algumas mulheres são mais propícias a desenvolver câncer do que outras se apresentarem os seguintes fatores :

- Ter mãe ou irmã com câncer de mama
- Nunca ter tido filhos
- Ter tido o primeiro filho após os 30 anos
- Histórico de exposição a radiação
- Fumar
- Terapia hormonal (estrogênio)
- Uso excessivo de álcool
- Ferimento no seio
- Obesidade

Não há evidências definidas ainda que o uso de pílulas por um longo período de tempo pode causar câncer de mama, mas esta possibilidade continua a ser estudada. Também parece que tomar estrogênio depois da menopausa causa um pequeno aumento de risco de câncer de mama.

Pesquisadores também estão estudando alguns vírus como possíveis causas.

Quais são os sintomas?

Na maior parte das vezes o primeiro sinal do câncer de mama é um pequeno nódulo no seio. O nódulo é geralmente indolor que pode crescer lenta ou rapidamente.

Outros sintomas do câncer de mama incluem:

- Mudança de cor, reentrâncias, enrugamentos, ou elevação da pele em uma área do seio
- Uma mudança do tamanho ou formato do seio
- Secreção no bico do seio
- Um ou mais nódulos nas axilas

Como é diagnosticado?

Para descobrir o câncer de mama o mais rápido possível, você deverá, a partir do momento que tiver idade suficiente para ter exames ginecológicos anuais:

- Fazer um auto exame mensal
- Fazer exame médico pelo menos uma vez ao ano
- Fazer uma mamografia entre 35 a 39 anos de idade. A partir daí, após os 40 a cada 1 ou 2 anos, de acordo com o programa recomendado pelo seu médico. A partir dos 50 anos, você deve fazer uma mamografia a cada ano. Se você apresentar características de alto risco de câncer de mama, você deve começar a fazer mamografias regulares aos 35 anos ou menos.

A maior parte dos nódulos não são câncer. Na maioria das vezes eles são cistos com fluidos no tecido do seio que aumentam e diminuem com o ciclo menstrual. Mas todo nódulo deve ser avaliado.A avaliação normalmente envolve:

- um exame médico
- uma mamografia
- uma biópsia de agulha ou cirúrgica (estes testes devem ser feitos mesmo que o nódulo não seja visto na mamografia)

Se fizer biópsia de agulha (também chamada de aspiração de agulha), primeiramente será aplicada uma anestesia local para adormecer a área do seio que será analisada. Então o médico insere uma agulha dentro do nódulo e retira o fluido ou tecido dele. Se o fluido completar a agulha, o nódulo é um cisto de fluido e não câncer. Remover o fluido também faz o nódulo desaparecer. O tecido retirado pela agulha será examinado no laboratório.

Se fizer biópsia cirúrgica, será aplicada uma anestesia local por seu médico que fará um corte no seio e removerá o nódulo. Este tecido será examinado através de um microscópio. Um teste receptor de estrogênio (ER) poderá ser feito com a amostra da biópsia para ver se os hormônios promoveram o crescimento do tecido cancerígeno. Um nódulo linfático também pode ser removido das axilas para que se verifique se o câncer estendeu-se além do seio.

Como é tratado?

Se um nódulo do seio é cancerígeno, a decisão para tratamento será feito por você, seu cirurgião, e seu oncologista (especialista de câncer).Estas decisões serão baseadas no tipo e no tamanho do câncer e se ele estendeu-se para o nódulo ou para outras partes do corpo.

Os possíveis tratamentos cirúrgicos são lobectomia (remoção somente do tecido cancerígeno) ou mastectomia (remoção completa do seio). Outros tratamentos possíveis são a radiação e a quimioterapia, estes tratamentos podem ser usados isolados ou em combinação.

Se você estiver considerando a mastectomia, você deve discutir com seu cirurgião as opções e datas para a reconstrução cirúrgica.

Como posso me cuidar?

Se foi diagnosticado câncer de mama:

- discuta com seu médico a respeito do câncer e opções de tratamento. Não hesite em ter uma segunda opinião.
- Pergunte para seu médico o que deve ser feito caso o tratamento cause desconforto.
- Faça exames regulares após o tratamento terminar.
- Continue com auto-exame mensal, mesmo que ambos os seios tenham sido removidos cirurgicamente, para que se possa perceber cedo a reincidência do câncer, caso haja.

Muitos serviços de suporte estão disponíveis para as mulheres com câncer de mama. A sobrevivência ao câncer de mama continua sendo aperfeiçoado. A maior parte dos tumores são encontrados pelas próprias mulheres. Quanto mais as mulheres fizerem o auto-exame regular, mais o câncer será constatado prematuramente. Como a mamografia e outras tecnologias aperfeiçoam-se, o câncer tem sido detectado antes mesmo de sua existência ser sentida ou suspeita. Detecção prematura aumentam grandemente as chances de sobrevivência e facilitam o êxito do tratamento. Para detectar o câncer prematuramente:

Faça um auto-exame mensalmente.

- Faça mamografias anuais a partir dos 50 anos
- Não ignore um nódulo ou mudança na aparência ou sensação do seio. Lembre-se que o tumor cancerígeno é normalmente indolor.

0 comentários:

O ultrassom é um aparelho que emite uma irradiação mecânica de frequencia acima de 20 KHZ.O ultrassom produz 3 tipos de efeitos: térmico, ...

Aplicações do Ultrasom


http://3.bp.blogspot.com/_wEPclNdzz2k/THsrUvfP6HI/AAAAAAAAAFg/LcUFgm1pd-A/s1600/ELETROTERAPIA_01.JPG

O ultrassom é um aparelho que emite uma irradiação mecânica de frequencia acima de 20 KHZ.O ultrassom produz 3 tipos de efeitos: térmico, químico e mecânico.

O efeito térmico provoca aumento da vascularização do tecido e melhora da oxigenação local.

O efeito químico provoca produção de colágeno e de fibras elásticas melhorando a firmeza da pele.

O efeito mecânico provoca o aumento da penetração de ativos cosméticos melhorando a performance dos produtos.

Existem vários tipos de aparelhos usados na medicina diagnóstica, mas para a área de estética são basicamente 3 tipos. O aparelho de 1 MHZ, 3 MHZ e 5 MHZ.

A diferença entre eles está na profundidade de atuação das ondas sonoras por eles emitidas.

O aparelho de 5 MHZ é o mais superficial, atinge cerca de 0,5 cm de espessura abaixo da pele e serve para tratamento de estruturas de espessura fina como a face.

O aparelho de 3 MHZ é o mais comumente utilizado na estética, sua profundidade chega a aproximadamente 1,5cm abaixo da pele, portanto atinge a camada de células gordurosas sem atravessar a camada muscular a afetar os órgãos vitais.

O aparelho de 1 MHZ é o mais profundo e é muito utilizado pela fisioterapia no tratamento das dores musculares, sua penetração atinge 4cm abaixo da pele.

As indicações do ultrassom em estética são: romper nódulos de celulite, descompactar gordura endurecida por fibrose, hidrolipoclasia e pré e pós-operatório de cirurgia plástica.

A aplicação de ultrassom não deve ultrapassar os 20 minutos no corpo todo devido a fenômenos de redução dos níveis de glicose no sangue.

Nos protocolos de hidrolipoclasia em que ocorre injeção de soro fisiológico no subcutâneo e em seguida aplica-se o ultrassom, o tempo de aplicação também deverá ser respeitado não ultrapassando-se os 20 minutos.

A associação de técnicas é fundamental para melhores resultados, sendo assim, a indicação de técnicas como a drenagem linfática, endermologia e massagem modeladora estão indicadas após a aplicação de ultrassom.

Técnicas invasivas como a Carboxiterapia também apresentam resultados superiores quando associadas ao ultrassom.

Lembrando que a indicação correta inclusive das associações deve-se a uma boa avaliação prévia e análise corporal detalhada.

0 comentários:

Na incessante busca pelo corpo perfeito, cada vez mais as pessoas, sejam elas homens ou mulheres, se submetem às intervenções cirúrgicas par...

EFEITOS DA DRENAGEM LINFÁTICA MANUAL NO PÓS-OPERATÓRIO IMEDIATO DE LIPOASPIRAÇÃO NO ABDOMEN


Na incessante busca pelo corpo perfeito, cada vez mais as pessoas, sejam elas homens ou mulheres, se submetem às intervenções cirúrgicas para que o corpo desejado seja alcançado sem tanto esforço.

A cirurgia plástica visa à reparação dos defeitos congênitos ou adquiridos, com conseqüente melhora da aparência ou, eventualmente, restituindo a função comprometida. Atua basicamente sobre a pele, estende muitas vezes o seu campo de ação sobre as estruturas mais profundas, a fim de restaurar a forma e função (AUN; BEVILACQUA, 1995).

Segundo Utiyama et al (2003, p. 436), a lipoaspiração ou lipossucção, consiste na remoção cirúrgica de gordura subcutânea, por meio de cânulas submetidas a uma pressão negativa e introduzida por pequenas incisões na pele.

A lipossucção, ou lipoaspiração, foi desenvolvida por Giorgio Fisher e seu pai, Arpad, entre 1974 e 1976,
quando publicaram seu primeiro trabalho. Mais tarde foi aprimorada e divulgada por Illouz e Fournier, em Paris.

Lawrence Field em 1977 foi o primeiro norte-americano a visitar a Europa para estudar a lipoaspiração (UTIYAMA et al, 2003).

“A lipoaspiração corresponde atualmente a uma técnica simples, rápida, pouco dispendiosa e, quando bem indicada, isto é, em adultos saudáveis com gordura localizada, apresenta excelentes resultados [...].” (UTIYAMA et al, 2003, p. 436).

“Através dessa técnica, consegue-se hoje realizar uma grande quantidade de correções que antigamente não eram possíveis, ou então o eram através de grandes cirurgias.” (RUZZANTE, 1986, p. 79).

A lipoaspiração é parte de um capítulo recente da cirurgia plástica, sendo que desde o seu surgimento várias alterações ocorreram em seus fundamentos e equipamentos, a fim de diminuir a incidência de seqüelas deixadas no pós-operatório (GUIRRO; GUIRRO, 2002).

A principal indicação de uma lipoaspiração, é o tratamento de regiões onde mesmo após um processo de emagrecimento, não se consegue remover a gordura localizada. De maneira geral, com a lipoaspiração se consegue remover qualquer excesso de gordura localizada, em praticamente qualquer lugar do corpo, contar sempre com a boa elasticidade da pele do local (RUZZANTE, 1986).

Com a lipoaspiração, podem acontecer alguns eventos clínicos comuns no pós-operatório. Esses eventos apresentam-se como: edema, hematomas, fibrose e outros (ILLOUZ, 1998 apud SILVA, 2001).

Através da drenagem linfática manual, a fisioterapia pode auxiliar na redução desses eventos clínicos, acelerando o processo de recuperação pós-operatória, prevenindo e controlando as complicações comuns.

Mas para alcançar um resultado estético mais satisfatório, é necessária uma preocupação com os cuidados do pré e pós-operatório, acelerando a recuperação e prevenindo complicações mais comuns.

Após a lipoaspiração, que costuma agredir bastante os tecidos locais, ocorre com freqüência à formação de fibrose e com isso edema na área lipoaspirada, podendo levar a dor.

Segundo Ribeiro (2003), a DLM é uma técnica específica de massagem, introduzida por Vodder (Alemanha) e mais recentemente por Leduc (Bruxelas), que tem como principal finalidade esvaziar os líquidos exsudados e os resíduos metabólicos por meio de manobras nas vias linfáticas e nos linfonodos.

Lopes (2002), afirma que a DLM é uma técnica massoterápica, criada e desenvolvida pelo biólogo e fisioterapeuta Dr. Phil Emil Vodder, no começo da década de 1930, que favorece a drenagem da linfa da periferia do organismo para o coração. Hoje considerada de ampla utilização no tratamento de várias patologias, a drenagem linfática manual desenvolve sua ação principal sobre o sistema circulatório linfático, ou seja, sobre “uma estrutura orgânica multifatorial”, formada pela linfa, vasos linfáticos e linfonodos. A aplicação auxilia o aumento do transporte da linfa, que melhora a vascularização, a anastomose linfolinfática e linfovenosa e
proporciona maior resistência defensiva-imunitária do organismo, devido ao aumento de células imunitárias que veiculam no próprio sistema linfático.

A DLM drena os líquidos excedentes que banham as células, mantendo assim, o equilíbrio hídrico dos espaços intersticiais. Também é responsável pela evacuação dos dejetos provenientes do metabolismo celular (LEDUC; LEDUC, 2002).

Para Leduc e Leduc (2000), a DLM faz parte das técnicas utilizadas para favorecer a circulação dita “de retorno”.

Godoy e Godoy (1999) deixam claro que DLM e massagem são duas coisas completamente distintas.

Afirma também que para realizar a DLM devemos ter consciência de que estamos drenando, e que para isso não há necessidade de movimentos fortes de compressão.
As manobras são lentas, rítmicas e suaves, devendo sempre direcionar sua pressão, obedecendo ao sentido da drenagem linfática fisiológica. Para que o objetivo da drenagem da linfa estagnada seja atingido, é imprescindível obedecer a uma seqüência especifica de regiões do corpo onde as manobras são executadas (MADRUGA, 2002).

“O processo de evacuação ocorre nos linfonodos que recebem a confluência dos coletores linfáticos. Este processo libera as vias linfáticas das regiões adjacentes à zona edemaciada, ou seja, as regiões que irão receber todo o líquido drenado.” (GUIRRO; GUIRRO, 2002, p. 74).

Ribeiro (2003) afirma que a DLM deve sempre ser iniciada pelo segmento proximal, pelas manobras que facilitem a evacuação, feitas nos linfonodos regionais, e só então deve seguir para as manobras de reabsorção e captação, realizadas ao longo das vias linfáticas e nas regiões de edemas.

Segundo Ribeiro (2003), as diversas manobras de DLM são realizadas em todos os segmentos do corpo, sendo que cada manobra é realizada sobre o mesmo local de cinco a sete vezes. Algumas delas seguem um trajeto que parte dos linfonodos regionais e retorna a ele, correspondendo, de um modo geral, às vias linfáticas fisiológicas.

De acordo com Guirro e Guirro (2002), as manobras de DLM são indicadas na prevenção e/ou tratamento de: edemas, linfedemas, fibro edema gelóide, queimaduras, enxertos, acne, sensação de cansaço nos membros inferiores, dor muscular, pré e pós-operatório de cirurgia plástica, hematomas e equimoses, olheiras e até mesmo marcas de expressão.

Para Ribeiro (2001), também está indicada para gordura localizada, cicatrizes hipertróficas e retráteis, relaxamento e síndromes vasculares, microvarizes e varizes.

Lopes (2002) cita as seguintes indicações: retenção hídrica, afecções dermatológicas, rigidez muscular, período de TPM (tensão pré-menstrual), insônia, pré e pós-intervenção cirúrgica, hematomas, tratamento de acne, tratamento de telangectasias, tratamento de rejuvenescimento, tratamento de rosácea e tratamento do
fibro edema gelóide.

A fisioterapia através da drenagem linfática manual tende a prevenir e diminuir o edema, melhorando o efeito estético, aumentando a satisfação dos pacientes quanto ao resultado do procedimento cirúrgico.

Perante tamanha procura pela lipoaspiração, temos hoje uma grande quantidade de pacientes em pósoperatório com fibrose e edema presente no local lipoaspirado, e com dor em conseqüência dessa agressão aoorganismo.

A importância da drenagem linfática nesse pós-operatório é amenizar esses efeitos, evitando a dor e auxiliando nas atividades da vida diária no pós-operatório.
Com isso, o fisioterapeuta pode usar esse recurso da drenagem para ajudar na reabsorção dos líquidos pelos capilares linfáticos, diminuindo assim o edema, e com isso a dor.

Veja o restante desta pesquisa clicando aqui

0 comentários:

Faça Fisioterapia