Sabendo mais sobre Cicatrizes Hipertróficas e Queloides


>




Cicatrizes Hipertróficas e Queloides são o resultado de uma alteração determinada por fatores genéticos no processo normal de cicatrização causando o aparecimento de cicatrizes anômalas.

O resultado final de uma cirurgia e a qualidade estética de uma cicatriz dependem de diversos aspectos relacionados ao ato cirúrgico e ao paciente. Problemas relacionados a cicatrização normal podem provocar o surgimento de cicatrizes alargadas e muito inestéticas, ou mesmo provocar a perda da cirurgia.

Para que uma cicatrização adequada ocorra é preciso que o mecanismo responsável pela sua realização esteja em perfeito funcionamento. Distúrbios genéticos, Hereditários, podem causar alteração no mecanismo normal de cicatrização e com isto cicatrizes anômalas podem surgir.

A cicatriz tem por finalidade reparar um dano causado em nosso corpo preenchendo o espaço, o buraco, resultante da morte das células do tecido traumatizado de maneira a fechar este espaço e manter a integridade interna de nosso corpo.

Nosso organismo possui mecanismos que detectam quando a cicatriz produzida conseguiu reparar o dano causado e com isto o processo de cicatrização é parado e não há mais a produção de cicatriz.

Quando estes mecanismos não são ativados nosso corpo continua a produzir cicatriz mesmo quando o tecido lesado já foi completamente reparado. O resultado disto é a produção de um excesso de tecido cicatricial que ultrapassa os bordos da região que esta sendo reparada ou ate mesmo invade as regiões próximas.

A cicatriz é um tecido fibroso, portanto diferente dos tecidos normais para o reparo dos quais a cicatriz foi produzida. Sendo apenas um tecido fibroso que tem por finalidade unir os tecidos lesados não possui as mesmas características que o tecido normal tem. Isto é muito visível quando a cicatriz esta localizada na pele e as diferenças entre a pele normal e a cicatriz podem ser vistas ou mesmo palpadas, pois alem de aspectos visíveis a textura de uma cicatriz é bem diferente da textura normal da pele que a cerca.

Se os mecanismos de detecção de que o reparo esta completo não são ativados, o que ocorre em certos grupos étnicos, principalmente em pessoas de pele negra, a cicatriz continua a ser produzida de maneira que o tecido fibroso resultante cresce e elava-se para fora dos limites da área em cicatrização, e da pele normal, formando assim uma tumoração de tecido fibroso que da a cicatriz resultante um aspecto bem diferente de uma cicatriz normal.

Nesta situação podem surgir dois tipos de cicatrizes anômalas: A cicatriz Hipertrófica e os Queloides.

Ambos são cicatrizes elevadas com excesso de tecido fibroso cicatricial resultado da perda da capacidade do organismo em reconhecer o termino da cicatrização. O exato motivo que causa este processo ainda não é conhecido pela medicina e este mecanismo ainda permanece uma icógnita ate os dias atuais.

Como não é conhecido o exato mecanismo que leva a sua formação ainda não existe na medicina uma forma eficaz de evitar o formação de Queloides nem de Cicatrizes Hipertróficas.

Apesar de serem resultado do mesmo processo Queloides possuem características que os diferem das Cicatrizes Hipertróficas.

Os Queloides tem como principal característica de serem verdadeiros tumores de cicatriz pois crescem e invadem tecidos são ao redor da cicatriz. Inicialmente o crescimento de um Queloide é acelerado, após algum tempo do seu surgimento este passa a ser lento quase imperceptível e o tamanho da lesão quase não sofre mudanças, o que chamamos de fase de estabilidade. Mas se ocorrer qualquer estimulo sobre o Queloide este pode voltar a crescer rapidamente modificando o seu tamanho original podendo dobrar seu tamanho ou ate mesmo gerar uma cicatriz várias vezes maior que a anterior, e ate que a lesão entre novamente na fase de estabilização não é possível prever qual será o tamanho final da lesão.

A principal causa de estimulo para o crescimento dos queloides são os estímulos para que o processo de cicatrização seja ativado. Qualquer situação que estimule o processo de cicatrização, como um trauma sobre o Queloide, estimula o seu crescimento.

Uma vez que surgem os Queloides não desaparecem e não ocorre redução do seu tamanho.

Outra característica típica dos queloides é o prurido. Geralmente as cicatrizes queloidianas coçam muito levando o paciente a coçar a região causando escoriações no Queloide o que estimula o seu crescimento.

Existem áreas de nosso corpo que são mais suscetíveis ao aparecimento de Queloides como a região pré esternal, lóbulo das orelhas, terço inferior do abdômen, região deltóide. Já outras áreas como as pálpebras, dorso das mãos e dos pés é extremamente raro o aparecimento de queloides, sendo estas regiões “quase imunes” a isto.

As Cicatrizes Hipertróficas como os Queloides são elevadas e formadas pelo excesso de tecido fibroso depositado no local da cicatriz. São caracterizadas por não invadirem tecido são, seu crescimento respeita os limites da ferida inicial. Sofrem um crescimento na fase inicial atingindo um certo tamanho após o qual este crescimento para de ocorrer e não há mudanças no seu tamanho. Após atingir o crescimento máximo as Cicatrizes Hipertróficas sofrem regressão espontânea e seu tamanho vai diminuindo progressivamente ate que elas voltam a ter o aspecto de uma cicatriz normal não mais ultrapassando o nível da pele normal.

Raramente são acompanhadas de prurido local, e, quando estimuladas por traumas podem não sofrer mais crescimento.

Após a regressão o resultado final de uma Cicatriz Hipertrófica pode ser o de uma cicatriz normal alargada, que geralmente não possui um aspecto estético muito bom mas é muitas vezes melhor que o aspecto final de um Queloide.

Uma pessoa que tenha uma cicatrização que forme Queloides sempre irá ter este tipo cicatrização, ou seja, qualquer que seja o a origem do trauma (uma cirurgia ou um acidente) irá ocorrer a formação de um Queloide.

Já uma pessoa que tenha tido em um determinado momento a formação de uma Cicatriz Hipertrófica pode não ter a mesma ocorrência em um novo trauma no mesmo local da primeira ou em outro local qualquer de seu corpo.

Assim, pessoas com Queloides sempre que são submetidas a cirurgia acabam por ter um resultado estético muito ruim pela qualidade da cicatriz que elas produzem e se for possível deve-se evitar qualquer tipo de cirurgia neste tipo de paciente.

Algumas pessoas se referem a cicatrizes de baixa qualidade estética como se fossem Queloides. É muito comum ouvir uma paciente dizer que “tem Queloide” pois após a sua cesárea a cicatriz ficou esteticamente ruim e o “médico” disse que o que aconteceu foi a formação de um Queloide, quando na verdade a paciente tem apenas uma cicatriz da má qualidade que nem de perto tem o comportamento de um Queloide.

Esta situação caracteriza uma desinformação geral. Primeiro por parte do médico que fez diagnóstico de uma lesão Queloidiana em uma cicatriz de ma qualidade e segundo pela paciente que passa a carregar este estigma de ter Queloide e temer que novas cicatrizes de ma qualidade se formem em seu corpo em caso de necessidade de uma cirurgia.

Como foi dito os Queloides tem um comportamento característico e não devem ser confundidos com cicatrizes de má qualidade, nem com cicatrizes hipertróficas, pois estas últimas possuem tratamento e o resultado final sempre é bom mas as lesões queloidianas tem o seu tratamento feito de forma empírica e um elevado índice de recidivas que fazem desta lesão uma das lesões mais temidas pelos cirurgiões plásticos pelo seu aspecto altamente inestético e de difícil solução.

Dr. Iversen Ferrante Boscoli
Sabendo mais sobre Cicatrizes Hipertróficas e Queloides Sabendo mais sobre Cicatrizes Hipertróficas e Queloides Revisado by Faça Fisioterapia on 08:00:00 Nota: 5

Nenhum comentário