Rugas e a eletroestimulação


>



O envelhecimento é um dos processos que ocorrem em nosso organismo que tem levado a inúmeras pesquisas. Embora não se tenha um consenso de quando ele se inicia, sabe-se que o processo metabólico mais evidente é a diminuição da síntese protéica.

Entre as alterações morfológicas que ocorrem neste evento podemos citar: aumento da permeabilidade da camada córnea, alteração das fibras colágenas tornando-as mais grossas e das fibras elásticas que ficam menos elásticas, diminuição da substância fundamental, diminuição da função e do número das glândulas sebáceas e sudoríparas, diminuição da gordura do tecido subcutâneo, perda da massa muscular esquelética e atrofia dos melanócitos

Por volta da 3ª década de vida ocorre atrofia do tecido adiposo na região masseteriana, levando ao pronunciamento do sulco nasogeniano; redundância da pele palpebral e início da rugas dinâmicas periorbiculares ("pés de galinha"). Aos 40 anos observa-se acentuação da prega palpebral e rugas orbiculares e frontais. Aos 50 anos nota-se aumento das rugas do pescoço e ptose da ponto do nariz. À essas rugas denominamos "rugas gravitacionais". No período sexagenário, além das alterações mencionadas, o tecido celular subcutâneo torna-se mais delgado.

Devemos salientar que essas alterações vem acompanhadas de atrofia muscular dos músculos correspondentes: masseter, grande zigomático, risório, orbital dos olhos, platisma, corrugador e elevador da asa do nariz.

Além dessas alterações pode-se também observar uma diminuição da espessura dos lábios com aumento das rugas periorbiculares, decorrentes de atrofia do músculo orbital dos lábios, e ptose do supercílio em virtude da fraqueza do músculo frontal.

Como pode-se observar as rugas gravitacionais são decorrentes, em grande parte, pela alteração da musculatura esquelética facial, normalmente corrigidas com procedimentos cirúrgicos com resultados variáveis.

Dentro do campo da fisioterapia estética, pode-se lançar mão de recursos para aumentar o trofismo muscular e diminuir ou prevenir estas alterações.

O recurso mais empregado tem sido o uso de eletroestimulação funcional, que utiliza correntes excito-motoras associadas à cinesioterapia, preferencialmente resistida.

As correntes excito-motoras mais indicadas são as correntes despolarizadas (bifásicas ou alternadas), pois por não possuírem polaridade definida, não apresentam fenômenos iônicos, não incrementando o galvanismo intra-oral.

O galvanismo intra-oral é um fenômeno natural que ocorre na cavidade bucal, devido a mesma apresentar pares polares (restaurações de amálgama) e meio eletrolítico (saliva) para condução de corrente. Desta forma cria-se um corrente elétrica na boca. O uso de correntes polares incrementa esta corrente, produzindo desprendimento dos íons da restauração, entre eles os de mercúrio.

As rugas não são decorrentes apenas do processo de envelhecimento, existem também as rugas dinâmicas, as quais discutiremos na próxima edição do NEWS.

 

* Texto extraido da Kw Eletrônica

Rugas e a eletroestimulação Rugas e a eletroestimulação Revisado by Faça Fisioterapia on 08:32:00 Nota: 5

Nenhum comentário